Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





Oi? Urgências?

por Maria, quem és tu?, em 18.11.14

No domingo passado, por volta das onze da noite, o homem envia-me mensagem a queixar-se com azia, ardor no peito, má disposição e mais uma série de coisas boas. Como já estou habituada a que ele semana sim, semana não tenha este tipo de sintomas, desdramatizei a situação e tranquilizei-o dizendo-lhe que daí a uns minutos estava fresquinho que nem uma alface. Pensava eu. Era uma e meia da manhã quando o homem me diz que não aguenta com dores. Perguntei-lhe se queria ir ao hospital, mas resistiu e disse que ia beber um chá e comer mais um pacote de açúcar, que parece que em casos de azia ajuda bastante. O pior é que o homem já ia no quarto pacote de açúcar e por ele tinha continuado até a azia passar. Homens! As dores não passavam e ás duas e pouco da manhã lá me tive que vestir em dois minutos e ir buscar o homem para irmos ás urgências do hospital mais próximo. Pensava eu que por ser domingo e já serem duas e meia da manhã que chegávamos lá, éramos atendidos em três tempos e lá para as quatro da manhã já estávamos descansadinhos em casa, prontos para entrar num sono profundo. Tão ingénua que eu sou. Entrámos nas urgências ás duas e meia e saímos ás oito e meia da manhã, direitinhos ao café para tomar o pequeno-almoço. Que isto quem aguenta até ás oita e trinta também aguenta mais meia horinha para ir comer uma torradinha e um leite com chocolate, que nos souberam pela vida. Seis horas de espera. SEIS HORAS! Cinco minutos para sermos chamados à triagem, quase quatro horas para sermos chamados pelo médico e mais duas horas para sabermos o resultado das análises. E muita "sorte" tivemos nós em ter recebido a pulseira amarela porque estou convencida de que se tivéssemos recebido a pulseira verde ainda agora lá estávamos. O tempo de espera quase que dá para uma pessoa se pôr fina e rumar a casa sem ser atendida. As urgências dos hospitais púbicos de urgência só têm mesmo o nome porque de resto não têm nada. No fim de contas o homem teve um refluxo gastroesofágico, provavelmente causado por comer demasiado e muito depressa. Muitas vezes eu lhe digo para ele comer devagar que a comida não vai fugir, mas ele não me ouve e continua a comer como se o mundo fosse acabar em minutos.

 

Ora quem é que por aqui costuma ter refluxo gástrico? Vá acusem-se que eu quero saber dos vossos truques para aliviar os sintomas.

Autoria e outros dados (tags, etc)


5 comentários

Imagem de perfil

De meandmyboy a 18.11.2014 às 21:52

nop , nada, só alergias :) já é muito.
kisses
Imagem de perfil

De Vanessa a 18.11.2014 às 21:52

Nunca tive isso, mas que as urgências em Portugal são uma pouca vergonha, lá isso são. O tempo de espera é enorme e ainda por cima ou nos calha um estúpido qualquer que olha para nós, passa medicamentos e podem ir ou calha um cubano ou de onde raio é que agora mandam vir médicos, que nem nos percebem, nem nós a eles, passam-nos uma porcaria qualquer e põe-te a andar que já estás a mais. Não vale a pena ir a umas urgências, a não ser que seja mesmo o último caso... e mais para mais achamos que é grave e eles empurram-nos com umas pulseirinhas de chacha como se não fosse nada. Enfim.
Imagem de perfil

De Isa a 18.11.2014 às 22:09

Mas estes homens de hoje em dia são uns tenrinhos, o meu também anda sempre com qualquer coisa lol

Estou bastante familiarizada com essa condição e costumo controlar a coisa logo com anti-ácido.. se deixar avançar muito ando dois ou três dias à rasca :/
Imagem de perfil

De S. a 21.11.2014 às 13:40

Conheço umas Urgências a Norte de Portugal, que cerca da 1H da manhã os Senhores Doutores vão dormir e depois começam a atender por volta das 5h/6H...
Quanto ao refluxo, já ouvi teorias que ingerir leite ajuda, mas não sei....
Sem imagem de perfil

De pallina a 22.11.2014 às 20:43

Evitar alimentos ácidos, gordurosos, muito temperados (molhos, etc); comer DEVAGAR; não deitar após a refeição

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D